30 de dezembro de 2009

2010!

Mais um ano que se passa. E como passou rápido! Me lembro até de ver os fogos da festa de ano novo passada. Foi um ano feliz, pelo menos para mim. (: Nesse ano de 2009, eu comecei o ensino médio, minha afilhada nasceu, fiz novos amigos, continuei minha amizade com os velhos amigos, descobri que gosto de dançar tanto quanto atuar (se não mais), a minha turma foi incrível. Eu também assisti muitos filmes bons, li livros melhores ainda, meu gosto musical melhorou imensuravelmente. Queria que houvesse uma Mariápolis desse ano para nossa região, infelizmente não foi possível, devido a gripe suína. Para 2010, eu espero que toda essa felicidade em dobro. Não só para mim, mas para você que está lendo, para minha família, meus amigos, vizinhos, e para todos os meus irmãos seres humanos que possuem um coração. :) É isso. O ano acabou. E agora? O que eu faço? Acho que vou somente seguir um conselho que recebi meio sem querer. Vou deixar a vida me levar. Menos para onde eu não quero ir. Termino com um FELIZ 2010 e uma música para vocês que no momento está em minha cabeça! Não se esqueça de mim em suas orações antes de dormir. õ/

Vou deixar
Skank
Composição: Samuel rosa / Chico Amaral

Vou deixar a vida me levar Pra onde ela quiser
Estou no meu lugar
Você já sabe onde é...

Não conte o tempo por nós dois
Pois a qualquer hora
Posso estar de volta
Depois que a noite terminar...

Vou deixar a vida me levar
Pra onde ela quiser
Seguir a direção
De uma estrela qualquer...

Não quero hora pra voltar
Não!
Conheço bem a solidão
Me solta!
E deixa a sorte me buscar...

Nananã!
Eu já estou na sua estrada
Sozinho, não enxergo nada
Mas vou ficar aqui
Até que o dia amanheça
Vou esquecer de mim
E você se puder
Não me esqueça...

Vou deixar o coração bater
Na madrugada sem fim
Deixar o sol te ver
Ajoelhada por mim
Sim!...

Não tenho hora pra voltar
Não!
Eu agradeço tanto a sua escolta
Mas deixa a noite terminar...

Eu já estou na sua estrada
Sozinho, não enxergo nada
Mas vou ficar aqui
Até que o dia amanheça
Vou esquecer de mim
E você se puder
Não me esqueça...

Não, não, não quero hora
Pra voltar, não
Conheço bem a solidão
Me solta!
E deixa a sorte me buscar
Não, não, não tenho hora
Pra voltar, não
Eu agradeço tanto a sua escolta
Mas deixa a noite terminar...

25 de dezembro de 2009

Hoje eu andei.


Hoje enquanto assistia uma novela, fiquei pensando em como coisas pequenas são hoje um tanto banais para nós, porém, são essenciais para nossa vida. Quase ninguém percebe o simples fato de que podemos andar, respirar, pegar, digitar, ver, ouvir, e tantas outras coisas como um sorriso, um aperto de mão, um abraço. Infelizmente, as pessoas só se tocam que são ricas por possuir tudo isso depois que perdem. Muitas pessoas só percebem o quão é importante andar depois que se tornam paralíticas. Já perdi as contas das vezes que ouvi alguém falar que preferia estar em uma cadeira de rodas para não ter que andar alguns metros. Outra coisa que me deixa triste é saber que alguns dão a devida importância ao abraço somente se estiverem abraçando a pessoa amada. Claro que isto é ótimo. Mas e aquele que não é amado por ninguém? Ele também não merece um abraço? Sentir-se amado? Essa pessoa sente falta de um abraço como ninguém. E por isso ela vai se tornando cada vez mais “carrancuda”. Foi nisso em que eu acabei pensando depois que acabou a novela e enquanto eu fui andar até a esquina para ter certeza do quão é bom andar e saber que eu aproveitei isso bem. Andei prestando atenção em cada detalhe do meu pedacinho de rua, das luzes de natal, das árvores pelas quais eu passava, do clima fresco. Depois, quando cheguei em casa, dei um abraço em minha mãe.

24 de dezembro de 2009

Eu não posso voar?


Você pode voar. Não como um pássaro, mas de tantas outras maneiras que até os pássaros te invejariam. Você pode voar em sua imaginação, sem sair do lugar. Em sua imaginação você pode fazer tudo o que quiser. Nela você tem poderes. Nela você é rei de seus pensamentos.

FELIZ NATAL!

gifs diferenciados

"A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida"
(autor desconhecido)

Por isso aqui está o meu silêncio para vocês.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
(:

23 de dezembro de 2009

Não faço nem ideia de um título bom para por aqui...

[Estava procurando uma imagem adequada para por aqui. Como não encontrei, fica assim mesmo.]
Eu quero escrever algo. Mas não sabia como começar. Então eu estou começando assim mesmo. quem sabe me vem alguma ideia, assim do nada. Só sei que não estou pensando muito para escrever só estou escrevendo. Eu gosto de fazer isso. Alivia. Por isso eu tenho um blog. Adoro ele. Antes eu escrevia no papel mesmo. Mas ultimamente eu tenho perdido a paciência com ele. As palavras demoram demais para sair com um lápis. O teclado é mais rápido. Viva a tecnologia! \o/ Escrever aqui também é bom porque as pessoas podem ler e eu não sei qual a reação, a cara delas enquantos as estão lendo. Eu não fico tão apreensiva esperando que as pessoas gostem ou não. Sabe de uma coisa? É muito bom poder falar um pouco aqui. Aliás, eu poço falar o quanto eu quiser, e isso é ótimo! Pronto. Matei minha vontade de escrever. Agora eu vou ali comer algo -fome.

Beijos.

20 de dezembro de 2009

O mundo é de quem?




Nosso. O mundo é de quem mora nele. Porém, o mundo não é como uma casa própria. Ele é um hotel. Um hotel que permite que você viva nele com algumas retrições como, por exemplo, preservá-lo. Caso isso não aconteça, todos são punidos (até mesmo os inocentes), pagando uma multa altíssima.

Perguntas

O mundo é de quem?
Eu não posso voar?
Tem que ser assim?
O que é viver?
Para que mentir?
Para que serve o amor?
A lua sumiu hoje?
Será que vamos conseguir vencer?
O que falta para o dia nascer feliz?
Deus existe?

15 de dezembro de 2009

-

Bom Natal!!


" Então é natal, e o que você fez?

O ano termina, e nasce outra vez.

Então é natal, a festa Cristã.

Do velho e do novo, do amor como um todo.

Então bom natal, e um ano novo também.

Que seja feliz quem, souber o que é o bem."


Mas um natal se aproxima. Não é raro encontrar luzes de enfeites durante a noite. Claro que nem todas as casas decoram suas faixadas com luzes e tudo o mais. No entanto, a maioria das famílias possuem ao menos uma árvore de natal. Na época do natal tudo muda. Pelo menos em minha cidade, o clima fica fresco e úmido, as pessoas se tornam mais compreensivas, sensíveis, mais solidárias, justamente porque é natal. Para o comércio, o natal é melhor época do ano. Além de ser o dia em que se comemora o nascimento de Cristo e o dia em que as crianças esperam o “papai Noel” para receberem os seus presentes, o natal também poderia ser o dia internacional do Capitalismo, pois é o dia em que todos seguem a regra deste. Consumir, consumir e consumir. A própria sociedade faz com que as pessoas sejam obrigadas a comprarem presentes. É como um ritual, uma tradição. Não estou reclamando do capitalismo. Até porque quem não gosta de ganhar presentes? Eu mesma já fiz minha listinha do que eu quero, já que não faz mais sentido mandar cartinhas endereçadas ao polo norte. (:

8 de dezembro de 2009

Chuva


Os céus choram por mim
Choram lágrimas sem fim
As lágrimas se encontram com as folhas verdes
Outras escorrem pela parede
Elas saem levando minh'alma
Saem depressa porém com calma
Elas vão. Deixando em meu peito um buraco enorme
O cobertor de nuvens cobre o Sol que dorme
Dorme sem deixar de iluminar
Dorme sem deixar de amar
Ele ilumina quem quer ser iluminado
Ele ama quem quer ser amado
Não é poder
É só querer

4 de dezembro de 2009

"Tau", para sempre no coração

As coisas são meio irônicas quanto se trata da vida. Uma de minhas maiores preocupações no início do ano era quanto ao número de colegas que eu teria no primeiro ano, já que eu sempre estudei em escolas pequenas. Eu pensava que quase quarenta pessoas iriam atrapalhar o andamento da sala. Mas eu tive sorte. E aconteceu exatamente o contrário.

Já nas primeiras semanas de aula todos perceberam que nós eramos diferentes. A sala não era “arteira” como eu pensava que seria. Claro que havia seus palhaços e tudo o mais. Além de tudo ela era unida. Ela é unida. Talvez porque não havia aquelas panelinhas. Talvez porque uma parte dos alunos fosse imigrantes. Ou os dois.

Nós eramos a “Tau” sala. Os professores nos diziam que nós eramos a sala exemplo. Não estou querendo me gabar disso (só um pouquinho). O fato é que o ano acabou. Hoje nós nos encontramos como colegas de sala pela ultima vez. Semana que vem nós faremos as provas e aí tudo acaba. Nós vamos nos dividir de turno. Alguns vão para o da manhã e outros para o da tarde. E é por isso que o ano que vem não será o mesmo. O medo de estar em uma sala que não está unida volta. Mas a esperança de ter sorte no ano que vem está bem viva.

Nossas despedidas começaram quarta-feira. Deu um nó na garganta. Na quinta, eu chorei um pouco. Hoje, sexta-feira, eu desabei. Chorei muito mesmo. Saíram lágrimas de saudades antecipadas, de alegria por ter participado daquilo tudo, de tristeza por ter acabado e de esperança, por esperar que ano que vem seja melhor.

O primeiro Tau 2009 não me deixa nenhuma lembrança ruim, nenhuma mágoa, só alegria, durante todo o ano. Essa turminha vai para sempre estar no meu coração.

2 de dezembro de 2009

Trajetória

De repente sua garganta se fechou em um nó apertado. Teve dificuldades para respirar. Não tinha nenhum motivo evidente para que se sentisse tão mal. As lágrimas escorreram por suas face. Percorriam todo seu trajeto quentes, deixando rastros frios. E quando todas elas já haviam saído, o nó se desfez. Dando origem a sorriso triste.

O amor...

Monte Castelo

Legião Urbana

Composição: Renato Russo (recortes do Apóstolo Paulo e de Camões).

"Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja
Ou se envaidece...

O amor é o fogo
Que arde sem se ver
É ferida que dói
E não se sente
É um contentamento
Descontente
É dor que desatina sem doer...

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

É um não querer
Mais que bem querer
É solitário andar
Por entre a gente
É um não contentar-se
De contente
É cuidar que se ganha
Em se perder...

É um estar-se preso
Por vontade
É servir a quem vence
O vencedor
É um ter com quem nos mata
A lealdade
Tão contrário a si
É o mesmo amor...

Estou acordado
E todos dormem, todos dormem
Todos dormem
Agora vejo em parte
Mas então veremos face a face
É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade...

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria..."
____________________________

Creio não precisar falar mais nada...

28 de novembro de 2009

Um sorriso

Os órgãos de seu corpo se afastaram para que seu coração batesse mais forte; mais rápido; mais apaixonado. Não sentiu o seu corpo naquele momento. Só viu a imagem dele. Não a interessava o que estava em seu redor. Foi como se ela ouvisse o vento cantar as mais belas canções de amor em seu ouvido. Queria parar e cumprimentá-lo. Mas suas pernas não a obedeceram, ou ela não conseguiu mandá-las parar. Só o que conseguiu foi dar um sorriso. E ele retribuiu. O sorriso dele sempre brilhou para seus olhos, mas não era um brilho que a cegava, era um brilho que a fazia querer enxengar cada vez melhor. Depois que passou por ele, seu coração ainda se demorou a voltar ao normal, junto com todo seu corpo. Ainda só enxergava o seu sorriso. Até hoje ela o exerga nitidamente, o que é um consolo, porque sente uma destetável sensação de que nunca mais irá vê-lo novamente.

Versos

Os versos saem de minha mente
Mas não organizam uma ideia
Gostaria de plantar uma semente
Mas acho que estou ficando velha

Não quero ser mais uma
Quero ser eterna

24 de novembro de 2009

-

O ano está acabando

Parece que dia primeiro de janeiro foi ontem. É mais um ano que vai deixar suas lembranças marcadas para o resto da vida. Foi um ano importante. Um ano que eu aprendi muito. Foi bom, quero dizer, está sendo bom. Não queria que as coisas mudassem. Mas, infelizmente, como todo ano, muda. E sinceramente eu não gosto dessa mudança. Tenho medo dela, simplesmente porque ela significa que algo bom acabou. E porque tudo que é bom acaba? Isso é revoltante. Mas o que me consola é que sem as coisas ruins não haveriam coisas boas. Talvez meu ano nem mude tanto e talvez eu esteja me preocupando atoa. E eu sei que falta mais de um mês para que 2009 acabe. Mas só me resta a esperança de que meus anos melhorem cada vez mais. E para você... FELIZ ANO NOVO!!

22 de novembro de 2009

PAPAI?!

A história do papai Noel que você conhece desde criança não é bem a história verdadeira... Eu lamento mesmo acabar com suas crenças, mas... A história do papai Noel começa num circo, com uma das primeiras mulheres barbadas já existentes no mundo.


Era um circo bastante exótico. Junto com a mulher barbada apresentava a mulher-homem (homem com corpo de mulher, o que chamamos hoje de travesti). Eles eram casados. Depois que se aposentaram queriam ter um filho. E conseguiram, em termos. Ninguém sabe o que aconteceu exatamente. O que se sabe é eles ficaram imortais quando a mulher barbada estava grávida. Ela ficou por muito tempo depressiva. Mas seu marido conseguiu convencê-la a fazer algo para, de alguma forma, preencher o buraco que havia ficado nela.

Foi aí que eles decidiram que a mulher barbada, já que estava velha e feia, se fingiria de homem e seu marido de mulher. E como a mulher barbada gostava muito de crianças, ela resolveu presenteá-las uma vez ao ano, no dia que seria o aniversário de seu filho, se ele tivesse nascido. A mulher barbada e o mulher-homem se auto nomearam de papai e mamãe Noel, que era o nome do circo onde eles trabalhavam, o circo Noel.

Você deve estar se perguntando se eu não sou uma louca por ter inventado essa história. Mas é a verdade. Eu e minhas amigas estivemos com o “papai” Noel e o incrível foi que “ele” confirmou a história, que eu já conhecia.

Perguntei para ela o que tinha acontecido com o filho dela. Ela disse que ele ainda estava em sua barriga protegido. Que, como ela, ele não envelhecia e é imortal.

Baseado na história de Lucas Milken.

Ontem pela manhã...

Por incrível que pareça ontem, lá pelas sete da manhã, não estava calor. Estava bem fresquinho, se a temperatura mudasse um grau piorava. Ao chegar na esquina, senti o sol esquentando minha pele. O que aumentou minha sensação de bem-estar.
Estava ouvindo Adriana Calcanhoto na rádio. Havia passarinhos voando próximo a uma árvore. O ruido dos carros que passavam me fez desejar estar em qualquer lugar longe da cidade, um lugar que pudesse sentir a natureza.
Agora, enquanto eu escrevo, estou ouvindo Ana Carolina. Está bastante calor. Um calor bastante desconfortável. Eu gostaria mesmo de voltar até aquele momento na manhã de ontem. Queria voltar para aquela esquina, e não me importaria com os ruídos dos carros que passavam apressados para chegar ao seu destino.
Viva com intensidade o momento presente, aproveite-o ao máximo.

Esclarecimentos sobre o blog

Primeiramente eu gostaria de agradecer pelo apoio do meus vários (:p) seguidores, que estão dando suas opiniões e me ajudando a melhorar na medida do possível.

Hoje eu estive olhando meu blog (novamente), e cheguei a conclusão de que ele é meio narcisista. =\ Essa minha foto enorme não muita finalidade. Mas eu quero que ele fique mais parecido comigo. Até o nome tem minha cara. :x Acho que já escrevi demais.
Beijos,
Obrigada.

21 de novembro de 2009

-

Lobisomens, bruxos e vampiros

Por que as pessoas se interessam tanto por histórias que envolvam personagens como lobisomens, bruxos e vampiros? Por que séries como Harry Potter e Crepúsculo fazem tanto sucesso?

Em uma entrevista, Robert Pattinson (Edward Cullen, em Crepúsculo e Lua nova, e Cedrico Diggory, em Harry Potter), diz que não sabe exatamente qual a razão do sucesso de Crepúsculo, mas acredita que tem a ver com os personagens.

As pessoas estão cansadas de suas vidas monótonas, mas sabem que não podem sair se aventurando por aí, fazendo o que bem entendem a procura de emoção. Talvez por isso elas se envolvam tanto com essas histórias. Os mais realistas, de pés-no-chão, não gostam muito delas, porém são perfeitas para os sonhadores (como eu), que vão atrás de uma emoção que com certeza não teriam em suas vidas.

O modo como Stephenie Meyer e J. K. Rowling escrevem seus livros atraem o leitor que viaja neles, mais longe até do que em suas reproduções em filmes.

J. K. Rowling usa a história de um herói em Harry Potter, não um herói como estamos acostumados a ver, mas um que tinha tudo para ser uma pessoal normal. Já Stephenie Meyer, utiliza uma história de amor, um amor que vai além da eternidade, ultrapassando as barreiras da “natureza”. E são exatamente essas coisas incomuns que atraem as pessoas.

19 de novembro de 2009

A formiga boladona


Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.
Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de nverno.
Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o bate-papo com os migos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada. Seu nome era 'Trabalho', e seu sobrenome era 'Sempre'.
Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; ão desperdiçou nem um minuto sequer.
Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu prá valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.
Então, passados alguns dias, começou a esfriar.
Era o inverno que estava começando.
A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida.
Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca.
Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu. Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison.
E a cigarra disse para a formiguinha:
- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris.
- Será que você poderia cuidar da minha toca?
- E a formiguinha respondeu:
- Claro, sem problemas!
- Mas o que lhe aconteceu?
- Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari?
E a cigarra respondeu:
- Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris... À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá?


Desejo sim, respondeu a formiguinha.

Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele ir para a......................uhasuasuaushuasuahu






Moral da História:
Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu patrão.
Trabalhe, mas curta a sua vida.
Ela é única!!!
Se você não encontrar a sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, adicione açúcar, pinga e gelo, e....

Seja feliz!