6 de março de 2010

Meu caderno, minha vida


Quantas páginas em branco... O que eu escrevi até hoje não é nada se comparado ao que ainda posso escrever. Assim é minha vida. Ela é como este caderno. Eu recebi ele em branco com suas linhas em todas as páginas, para que eu as seguisse. Eu posso escolher entre escrever na linha ou não. Eu posso escrever o que eu quiser. Só tenho que lembrar que alguém poderá ler o que eu escrevo. E isso trará suas consequências. Eu posso escrever o quanto eu quiser. Mas um dia o caderno acaba e não vai dar para reclamar se eu não aproveitar cada espaço que ele me oferece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário