27 de maio de 2010

Fascínio

Estava me alongando naquela sala espelhada. Sala de tantas histórias! Foi dançando ali que o conheci. Um sedutor, com todo seu jeito elegante de se movimentar. Ainda me pergunto o por quê de um cara como este se apaixonou por esta desajeitada aqui.

Sempre que eu não conseguia fazer alguns passos, o professor pedia a ele para que me ajudasse. Confesso que aproveitei um pouco disso. Nunca fui tão feliz ao lado de um homem como sou com ele. Parece idiota mas ainda me arrepio quando falo para as pessoas que ele é “meu namorado”.

Quando terminei de me alongar, vi, através do espelho, ele entrar por aquela porta. No mesmo instante em que meu cérebro percebeu que era ele, meu sistema nervoso encheu meu coração de adrenalina, fazendo-o quase saltar pela boca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário